Em um mundo onde a ênfase é colocada em "eu, eu e eu", não é de admirar que o divórcio seja tão prevalente. Em uma união matrimonial, o divórcio é a manifestação do egoísmo. Isso significa que uma das partes coloca seus desejos e vontades antes de todos os outros, incluindo seu cônjuge e filhos.

Embora o egoísta possa estar contente em sua nova vida de adultério e pecado, a destruição e a mágoa são as consequências para os que ficaram para trás. Vamos notar o que isso faz para a família.

A Destruição Causada Pelo Divórcio

1. O Divórcio Separa. Jesus diz: “Portanto, não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6). Separar é dividir ou desunir. A união matrimonial é unida por Deus e ninguém pode separar, dividir ou dissolver essa união, só o próprio Deus.

Quando um cônjuge decide correr com seus desejos egoístas, ele está dividindo e separando sua família, mas ele não é liberado por Deus de seus votos e deveres matrimoniais. Ele está destruindo sua família, causando assim grande dano e dor em seu cônjuge! Ele comete um grande pecado contra seu cônjuge e também contra Deus!

2. O Divórcio Destrói o Amor. Paulo escreve: “Todavia também vós, cada um de per si, assim ame a sua própria mulher como a si mesmo, e a mulher reverencie a seu marido” (Efésios 5:33). O casamento é um sinal de amor entre um homem e uma mulher. O divórcio só poderia significar que existe ódio onde Deus ordenou o amor.

Maridos e mulheres são aconselhados a amar e cuidar uns aos outros. Paulo usa o exemplo de Cristo e a igreja como um relacionamento entre marido e mulher. Ele deu sua vida pela igreja e os cônjuges devem estar dispostos a fazer o mesmo uns pelos outros. O divórcio destrói esse amor. O amor em si não é destruído; só é canalizado em outra direção. A pessoa que rejeita seu cônjuge tem amor por Satanás e pelo pecado. (1 Timóteo 4:1-3). Descrevendo o mestre judaizante que obrigava a circuncisão aos gentios convertidos, Paulo disse: “tanto a sua mente como a sua consciência estão contaminadas” (Tito 1:15-16).

Limpando a Consciência

Os sacrifícios sob a Lei Mosaica não foram capazes de tornar o adorador perfeito em consciência (Hebreus 9:8-10). Os sacrifícios de animais tinham que ser repetidos anualmente e nesses sacrifícios há uma lembrança anual do pecado (Hebreus 10:1-3). Em contraste, o sangue de Cristo é capaz de efetivamente limpar a consciência do homem das obras mortas para servir ao Deus vivo (Hebreus 9:13-14). O batismo é o meio pelo qual essa limpeza é realizada (Hebreus 10: 19-22; 1 Pedro 3:20-21).

Conclusão

Você pode, como Paulo, dizer: “Eu também faço o meu melhor para manter sempre uma consciência irrepreensível diante de Deus e diante dos homens”? Você reconhece a Bíblia como a palavra de Deus?

Você tem obedecido ao evangelho de Cristo? Você está vivendo em harmonia com esse padrão inspirado (2 Timóteo 3:13-17; 2 Pedro 1:2-3)?

Postar Comentário

Os comentários deste blog são todos moderados, ou seja, eles são lidos por nós antes de serem publicados.

Não serão aprovados comentários:

1. Não relacionados ao tema do artigo;
2. Com pedidos de parceria;
3. Com propagandas (spam);
4. Com link para divulgar seu blog;
5. Com palavrões ou ofensas a quem quer que seja.

ATENÇÃO: Comentários com links serão excluídos!

Postagem Anterior Próxima Postagem